Imuno-histoquímica de PD-L1

26 de março

Recentemente, foi aprovada a imunoterapia para pacientes com câncer de mama triplo-negativo (negativo para receptores hormonais RE e RP e para HER2) em estágio avançado ou doença metastática que expressem PD-L1, conforme ensaio aprovado (anticorpo SP142, Ventana). O complexo sistema PD-L1 e PD-1 envolve receptores e ligantes que participam do controle da ativação de células T. PD-L1 é normalmente expresso em células T, células B, células dendríticas, macrófagos, células-tronco mesenquimais, mastócitos e outras células não hematopoiéticas. PD-L1 também é expresso por tumores, auxiliando-os na evasão de sua detecção e eliminação pelo sistema imune do hospedeiro. A imunoterapia, em particular o uso de anticorpos monoclonais que bloqueiam as moléculas inibitórias do ponto de controle imune, melhora a resposta imune do próprio organismo contra os tumores. A avaliação da expressão da proteína PD-L1 funciona como biomarcador analítico de resposta à terapia anti-PD-1 e está disponível sob diferentes plataformas, executadas com anticorpos distintos. Para quais pacientes esse exame é indicado? O ensaio VENTANA PD-L1 (SP142) é um ensaio imuno-histoquímico qualitativo que utiliza o clone anti- PD-L1 monoclonal de coelho SP142 destinado a ser usado na avaliação da proteína programada ligante de morte 1 (PD-L1) em células imunes infiltradas em tumores nos tecidos fixados em formalina e embebidos em parafina (FFPE), corados com o OptiView DAB IHC Detection Kit e o OptiView Amplification Kit em um instrumento VENTANA BenchMark ULTRA. A pesquisa da expressão de PD-L1 utilizando-se o clone SP142 é fundamental para indicação de imunoterapia em carcinomas de mama (carcinoma triplo-negativo). O exame é realizado somente por técnica imuno-histoquímica. O resultado da expressão de PD-L1 é determinado pela porcentagem de células imunes (IC) PD-L1-positivas associadas ao tumor. Para quais pacientes esse exame é indicado?

  • Pacientes com câncer de mama triplo-negativo em estágio avançado ou doença metastática que expressem PD-L1
Benefícios:
  • Identificação de pacientes que podem ser beneficiados com imunoterapia.

Compartilhe este conteúdo

Veja também

Newsletter